Na Tunísia, estudantes são presos por serem homossexuais

Submetidos a exames do ânus e condenados a três anos de cadeia, os jovens não poderão frequentar o centro da cidade por cinco anos após o cumprimento da pena

No país, há uma lei que proíbe as relações sexuais entre homens

Seis jovens estudantes foram condenados à pena de três anos na Tunísia. Mesmo depois de cumprirem o tempo de detenção, eles não poderão frequentar o centro da cidade, próximo à capital, Tunis, durante cinco anos. O motivo? Serem gays.

Em declarações à agência France-Presse, a advogada dos estudantes, Boutheina Karkni, disse que vizinhos deram queixa dos garotos. Na Tunísia, há uma lei que proíbe relações sexuais entre homens, assim, o tribunal aplicou a pena máxima aos jovens.Ao serem detidos, os estudantes foram submetidos a exames do ânus. O teste é comum no país, em que as autoridades tentar provar a prática de sexo anal.

A organização que defende os direitos humanos, Amnistia Internacional, condena o caso como um exemplo da “homofobia enraizada” no país.

“O veredito contra estes homens é absolutamente chocante, especialmente numa altura em que os grupos ativistas na Tunísia estão, cada vez mais, a discursar contra a criminalização das relações entre pessoas do mesmo sexo”, criticou Said Boumedouha, vice-presidente da Amnistia Internacional para as regiões do Norte de África e do Médio Oriente.