Namoro em que um peida na frente do outro é mais bem sucedido, diz pesquisa

Segundo um estudo do site MIC, soltar pum na frente da pessoa amada mostra que você se sente confortável na presença dela e que seu relacionamento é bem sucedido.

Os caras descobriram que, enquanto 29% de seus entrevistados esperam entre dois a seis meses para poderem soltar o primeiro “gás”, 9,3% esperam um ano – a fim de se sentirem confortáveis para tal atitude.

Desse total, 25,2% disseram esperar entre seis meses a um ano, e 22,4% relataram que sempre deixam a sala para poder peidar longe do (a) parceiro (a). Um número de 7% afirmou que nunca soltou um pum na frente da pessoa amada.

Ainda segundo o site, muitas pessoas estão à espera da iniciativa do companheiro para poderem liberar seu tão necessário pum. Além disso, 19% delas admitiu que só peidariam depois de ver o outro fazer isso. Uma das entrevistadas no estudo disse que se você não pode peidar na presença de alguém, é porque você não pode ser ‘real’ com ela.

O gás no nossos intestinos vem de várias fontes: do ar que engolimos, do gás que passa do sangue para os intestinos, produção através das reações químicas que ocorrem no aparelho digestivo, e gás produzido pelas bactérias que constituem a flora intestinal.

Pessoas que engolem muito ar peidam mais do que pessoas que não engolem. Isso pode ser resolvido se você mastigar com a boca fechada, por exemplo. Pessoas nervosas com intestinos que trabalham rápido demais vão peidar mais porque menos ar é absorvido nos seus intestinos. Algumas condições patogênicas também podem causar flatulência excessiva. E subir num avião e ir para lugares onde o ambiente tem pressão mais baixa pode fazer os gases dentro de você se expandirem e emergirem como peido.

Em média, uma pessoa produz mais ou menos um litro de peido por dia, distribuído em cerca de 14 peidos diários. A altura em que a pessoa vive pode indicar a quantidades de puns que ela solta. Quem vive ao nível do mar, por exemplo, emite 15,1 peidos a cada 24 horas. Mas, a 7 mil metros de altura, essa quantidade multiplica de forma fenomenal, chegando a uma média de 129,6 peidos por dia. Claro, levando em consideração uma pessoa normal.

O odor dos peidos vem de pequenas quantidades de sulfeto de hidrogênio (gás sulfídrico) e “skatole” na mistura. Esses compostos contêm enxofre. Quanto mais rica em enxofre for sua dieta, mais desses gases vão ser produzidos pelas bactérias no seu intestino e mais seus peidos vão feder. Pratos como couve-flor, ovos e carne são notórios por produzirem peidos fedidos, enquanto feijão produz grandes quantidades de peidos não necessariamente fedidos.

Os sons são produzidos pela vibração da abertura anal. O som depende da velocidade da expulsão do gás e de quanto estreita for a abertura dos músculos do esfíncter anal.