Barcelona é denunciado após gritos homofóbicos para Cristiano Ronaldo

O Observatório Espanhol contra LGTBfobia anunciou uma queixa contra o Barcelona na Comissão Estatal contra a Violência no Esporte por insultos homofóbicos proferidos por torcedores no Camp Nou para Cristiano Ronaldo. “Cristiano maricón” foi o grito ouvido durante o minuto de silêncio em homenagem a Johan Cruyff na vitória do Real Madrid contra o Barça por 2 a 1 no último sábado (2), pela 31ª rodada do Campeonato Espanhol.

“Esses atos lamentáveis ​​e vergonhosos são puníveis, de acordo com a Lei do Esporte (2007)”, disse Francisco Ramirez, diretor do Observatório Stoplgbtfobia, em um comunicado. “Há anos, nos estádios espanhóis, jogadores e árbitros são reiteradamente insultados com apelidos homofóbicos sem que haja uma punição pública e exemplar, que termine com esta contínua presença da homofobia no futebol espanhol”, completou.

Ramírez salientou que, “há meses, Cristiano Ronaldo é objeto de insultos e rumores maliciosos sobre sua orientação sexual por parte de jornalistas, jogadores e torcedores de times rivais, a fim de humilhar, ofender e denegrir um grande jogador de futebol”.

“A homofobia não significa necessariamente que as pessoas que sofrem são homossexuais, mas apenas que outras pessoas digam coisas para insultar, atormentar e humilhar”, destacou o diretor do Observatório Stoplgbtfobia.

Ramírez finaliza lembrando que o “silêncio hipócrita” do Barcelona acontece menos de um ano após o clube catalão assinar um protocolo específico contra a homofobia diante de numerosas organizações LGBT.