‘Foi um ato de terror e ódio’, diz Obama sobre ataque a boate gay

Em pronunciamento à nação, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, chamou o ataque de “assassinato brutal”. Foi a 13ª vez que Obama discursa sobre tiroteios em massa em oito anos de governo.

“Apesar de ainda ser cedo, sabemos o suficiente para dizer que isso foi um ato de terror e um ato de ódio. Como americanos, estamos unidos em tristeza, indignação e determinação para defender nosso povo”, disse.

O virtual pré-candidato à presidente dos Estados Unidos pelo Partido Republicano, o empresário Donald Trump, tuitou: “Tiroteio muito grave em Orlando. Polícia investiga possível terrorismo. Muitas pessoas mortas e feridas”.

Também no Twitter, sua rival democrata, Hillary Clinton, escreveu: “Acordei com a notícia devastadora da Flórida. Na medida em que esperamos por mais informações, meus pensamentos estão com aqueles afetados por esse ato horrível”.

Em entrevista à CNN, o senador da Flórida Marco Rubio descreveu o atirador como um “animal”, cujo ato de violência mostrou “que essa é a nova fase da guerra ao terror”.

Ele elogiou os policiais que “salvaram vidas” ao invadir a boate, evitando assim mais mortos e feridos.