Carolina Ferraz diz “fugir do estereótipo” ao viver travesti

O novo filme de Flavio Ramos Tambellini, do premiado “Malu de Bicicleta”, vai apresentar uma nova imagem das travestis – geralmente retratadas de forma caricata. No longa “A Glória e a Graça”, Carolina Ferraz vive uma travesti bem-sucedida, dona de um restaurante do Rio de Janeiro. O filme foi selecionado para a 40ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo e será exibido pela primeira vez na noite desta terça-feira, com sessões extras nos dias 26 e 1º de novembro.

“O filme fala da relação entre duas irmãs, o resgate das relações em família. A Glória é divertida, procurei fazer um ser humano e fugir das caricaturas tão comuns quando se abordam esse universo. A maior preocupação foi justamente fugir do estereótipo e construir uma pessoa”, disse Carolina Ferraz ao Glamurama, que trabalhou por 30 dias com os preparadores Christian Duvoort e a Marina Medeiros para o papel.

Já Tambellini explicou que a ideia era mostrar a vida de uma pessoa normal, que tem todas as questões pelo fato de ser travesti: “A gente acha que travesti sempre é o marginal, uma pessoa fora do sistema… Quis dar essa outra visão, que aliás, é o que está acontecendo. É uma filme sobre a família moderna, da junção de diversas pessoas que formam uma família”.

Como aconteceu no clipe de Barbara Ohana, que trouxe Cauã Reymond no papel de uma trans, o filme pode gerar polêmica ao trazer uma não-LGBT para interpretar uma travesti. “A Carolina Ferraz está excelente e tem um biotipo que trabalhado é semelhante a de uma travesti. Para dar visibilidade ao personagem era importante ser uma atriz conhecida”, defendeu o diretor. A melhor amiga de Glória, Fedra, é interpretada pela atriz transsexual Carol Marra.

O longa foi rodado os bairros de Laranjeiras, Glória, Santa Teresa e Catete, no Rio, e tem estreia prevista para 23 de março de 2017 com distribuição da H2O Filmes.

“A Glória e a Graça” é o quarto longa de Flávio Ramos Tambellini. Ele também assina “Malu de Bicicleta” (2011), “O Passageiro, Segredos de Adulto” (2007) e “Bufo & Spallanzani” (2001), ganhador de quatro Kikitos no Festival de Gramado (Melhor Ator para Tony Ramos, Melhor Atriz para Isabel Gueron, Melhor Ator Coadjuvante para Juca de Oliveira e Melhor Direção de Arte). (Por Denise Meira do Amaral)