1 a cada 4 casos de Homofobia investigado em SP é de agreção

Quem acha que a homofobia acabou está redondamente enganado. Sim, a sociedade conseguiu alcançar muito progresso ao longo dos tempos, temos uma das maiores Paradas de Orgulho LGBT do mundo e, em São Paulo, é possível encontrar casais LGBT circulando tranquilamente pelas ruas – principalmente na região da Avenida Paulista. Mas isso não quer dizer que não há mais discriminação.

A Decradi (Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância), da Polícia Civil do Estado de São Paulo, aponta que houve 178 inquéritos policiais para apurar crimes de homofobia entre 2011 e 2016. E, em 23% deles, a vítima sofreu lesão corporal por parte do agressor. Isso quer dizer que, a cada quatro registros de casos de homofobia, um é acompanhado de agressão corporal. Os dados foram coletados pelo site Fiquem Sabendo.

Nenhum suspeito de envolvimento nos casos foi preso, pois o crime é visto pela lei brasileira como sendo de menor potencial ofensivo. Em nota enviada ao Fiquem Sabendo, a Decradi explicou:

“Da breve análise da estatística da Decradi, extrai-se que os delitos de intolerância relacionados à raça, cor, etnia e procedência nacional são os de maior incidência e/ou registro e, do universo de crimes perpetrados contra vítimas LGBT, em sua maioria, quase absoluta, são de menor potencial ofensivo, principalmente crimes contra a honra e lesões corporais de natureza leve e estes não são passíveis de prisão ou indiciamento”.