Cantora Jennifer Holliday cancela show na posse de Trump e pede desculpas à comunidade LGBT

Mais um reviravolta na enxuta lista de atrações da festa de posse de Donald Trump.

A cantora e estrela da Broadway Jennifer Holliday cancelou neste sábado (14) sua participação no evento.

Em carta publicada com exclusividade pelo site The Wrap, a estrela da Broadway afirma que cometeu um “erro de julgamento” ao aceitar o convite e pediu desculpas à comunidade LGBT.

No texto, com trechos escritos em caixa alta, ela diz:

“Agora minha única opção é me posicionar do lado da comunidade LGBT e afirmar, sem confusão, que NÃO CANTAREI NO SHOW DE BOAS-VINDAS, NEM EM QUALQUER OUTRA CELEBRAÇÃO DA POSSE. Peço sinceras desculpas por meu erro de julgamento, por não ter tido informação suficiente sobre os problemas que afetam todos os americanos neste momento crucial da história e por ter causado tanta consternação e desgosto aos meus fãs. Por favor, saibam que eu ouço vocês e sinto sua dor.”

A cantora ainda ressaltou que a comunidade LGBT foi importante para a sua carreira e que ela não tinha dimensão da importância que ainda tem para esse público.

Holiday ficou conhecida pela interpretação da música And I’m Telling You I’m Not Going, do musical Dreamgirls, nos anos 80. A atuação na peça rendeu a ela prêmios importantes, incluindo um Tony e um Grammy pela gravação da canção.

o longo de sua trajetória, Holiday se apresentou para presidentes dos dois partidos, incluindo Ronald Reagan, George W. Bush e Bill Clinton. Nas eleições de novembro 2016, ela declarou publicamente que seu voto foi por Hillary Clinton .

Após aceitar o convite dos assessores de Trump, a cantora recebeu inúmeros críticas e ataques nas redes sociais, incluindo insultos racistas. Sobre isso, declarou: “Eu pensei que ele [Barack Obama] nos tivesse dito para irmos adiante e termos esperança”.

Rejeição da classe artística

Nesta sexta-feira (13), o Diretor de Comunicação do Comitê Inaugural de Trump, Bros Epshteyn, divulgou a informação a escalação do evento, que acontece na próxima quinta-feira (19), um dia antes da posse de Trump.

Além de Jennifer Holliday, foram anunciados a banda 3 Doors Down e o cantor country Toby Keith.

Após as eleições, Trump vem enfrentando rejeição de grande parte da classe artística americana.

Os assessores responsáveis pela organização da festa tiveram dificuldades de encontrar atrações para o evento. Receberam recusas de diversos artistas, incluindo Elton John, do tenor Andrea Bocelli e dos Rolling Stones.

Até o rapper Kanye West, uma das poucas celebridades que apoiaram publicamente a campanha de Trump, recusou o convite.

Em 2009, este cenário foi bem diferente.

A festa de posse de Barack Obama contou com a presença de gigantes da música internacional: Beyoncé, Mary J. Blige, Jon Bon Jovi, Garth Brooks, Sheryl Crow, Herbie Hancock, John Legend, Shakira, Bruce Springsteen, James Taylor, Stevie Wonder, entre outros.

Já na festa de 2013, quando Obama foi reeleito, foi Beyoncé quem cantou o hino nacional ao seu lado.